domingo, 26 de julho de 2009

nuvem

A poesia foi dormir amanhecendo, pois ficou entre um whisky e outro discutindo literatura no bar, ali na esquina do sonho com a razão.
Dormindo serena sorrindo simpática de se ver em um lençol de fundo branco decorado por grandes flores, ela acordou perto de meio dia, mas pelo sol de inverno, parecia ser pouco mais de oito.
Acordou com a liberdade fazendo carinho no seu rosto, veio um ventinho de descompromisso que fez cócegas entre seus dedinhos do pé e ela resolveu abrir devagar os olhinhos, espreguiçando ainda.
Hoje a poesia acordou cantando, foi tirada pra dançar e virou música!

Seguidores

Arquivo do blog